contador de visitas

free web counter

segunda-feira, dezembro 01, 2014

SALVÉ A CAPOEIRA , PATRIMÓNIO IMATERIAL DA HUMANIDADE

.
O BLOG LUSO CARIOCA SAÚDA
A CAPOEIRA QUE ACABA DE SER
RECONHECIDA PELA UNESCO CO.
MO PATRIMÓNIO IMATERIAL DA
HUMANIDADE.



A capoeira ou capoeiragem1 é uma expressão cultural brasileira que mistura arte marcial, esporte, cultura popular e música. Desenvolvida no Brasil principalmente por descendentes de escravos africanos, é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando primariamente chutes e rasteiras, além de cabeçadas, joelhadas, cotoveladas, acrobacias em solo ou aéreas.[carece de fontes]

Uma característica que distingue a capoeira da maioria das outras artes marciais é a sua musicalidade. Praticantes desta arte marcial brasileira aprendem não apenas a lutar e a jogar, mas também a tocar os instrumentos típicos e a cantar. Um capoeirista experiente que ignora a musicalidade é considerado incompleto.[carece de fontes] Outras expressões culturais, como o maculelê e o samba de roda, são muito associadas à capoeira, embora tenham origem e significados diferentes.[carece de fontes]

A Roda de Capoeira foi registrada como bem cultural pelo IPHAN no ano de 2008, com base em inventário realizado nos estados da Bahia, de Pernambuco e do Rio de Janeiro, considerados berços desta expressão cultural.2

Agora , no dia 26 novembro de 2014, a Roda de Capoeira recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.



Etimologia

Existem duas possibilidades comumente aventadas para se explicar a origem do termo "capoeira":
derivaria do cesto homônimo utilizado pelos escravos para transportar as aves capadas até os mercados onde elas seriam comercializadas: os escravos, no caminho até os mercados, se distrairiam com movimentos de luta, originando, assim, a denominação "capoeira" para os movimentos praticados;3
derivaria do termo tupi kapu'era,1 que significa "o que foi mata", através da junção dos termos ka'a ("mata") e pûera ("que foi")4 . Refere-se às áreas de mata rasteira do interior do Brasil onde era praticada agricultura indígena. Acredita-se que a capoeira tenha obtido o nome a partir destas áreas que cercavam as grandes propriedades rurais de base escravocrata. Capoeiristas fugitivos da escravidão e desconhecedores do ambiente ao seu redor frequentemente usavam a vegetação rasteira para se esconderem da perseguição dos capitães do mato.

História[

Origem[editar

No século XVII, era costume dos povos pastores do sul da atual Angola, na África, comemorar a iniciação das jovens à vida adulta com uma cerimônia chamada n'golo (que significa "zebra" na língua quimbunda). Dentro da cerimônia, os homens disputavam uma competição de luta animada pelo toque de atabaques em que ganhava quem conseguisse encostar o pé na cabeça do adversário. O vencedor tinha o direito de escolher, sem ter de pagar o dote, uma noiva entre as jovens que estavam sendo iniciadas à vida adulta. Com a chegada dos invasores portugueses e a escravização dos povos africanos, esta modalidade de luta foi trazida, através do porto de Benguela, para a América, especialmente para o Brasil, onde se fixou a maior parte dos escravos africanos trazidos à América5 .

No Brasil, assim como no restante da América, os escravos africanos eram submetidos a um regime de trabalho forçado. Eram também forçados à adoção da língua portuguesa e da religião católica. Como expressão da revolta contra o tratamento violento a que eram submetidos, os escravos passaram a praticar a luta tradicional do sul de Angola nos terrenos de mata mais rala conhecidos como "capoeiras" (termo que vem do tupi kapu'era, que significa "mata que foi", se referindo aos trechos de mata que eram queimados ou cortados para abrir terreno para as plantações dos índios)6 .


A partir do século XVI, Portugal começou a enviar escravos para as suas colônias, provenientes primariamente da África Ocidental. O Brasil, com seu vasto território, foi o maior receptor da migração de escravos, com quase quarenta por cento de todos os escravos enviados através do Oceano Atlântico. Os povos mais frequentemente vendidos no Brasil faziam parte dos grupos sudanês (composto principalmente pelos povos Iorubá e Daomé), guineo-sudanês, dos povos Malesi e hauçá e do grupo banto (incluindo os congos, os quimbundos e os Kasanjes), provenientes dos territórios localizados atualmente em Angola, Congo e Moçambique.[carece de fontes]

A capoeira ainda é motivo de controvérsia entre os estudiosos de sua história, sobretudo no que se refere ao período compreendido entre o seu surgimento e o início do século XIX, quando aparecem os primeiros registros confiáveis com descrições sobre sua prática.7 No século XVI, Portugal tinha um dos maiores impérios coloniais da Europa, mas carecia de mão de obra para efetivamente colonizá-lo. Para suprir este déficit, os colonos portugueses, no Brasil, tentaram, no início, capturar e escravizar os povos indígenas, algo que logo se demonstrou impraticável. A solução foi o tráfico de escravos africanos.8

A principal atividade econômica colonial do período era o cultivo da cana-de-açúcar. Os colonos portugueses estabeleciam grandes fazendas, cuja mão de obra era primariamente escrava. O escravo, vivendo em condições humilhantes e desumanas, era forçado a trabalhar à exaustão, frequentemente sofrendo castigos e punições físicas.8 Mesmo sendo em maior número, a falta de armas, a lei vigente, a discordância entre escravos de etnias rivais e o completo desconhecimento da terra em que se encontravam desencorajavam os escravos a rebelar-se. Neste meio, começou a nascer a capoeira. Mais do que uma técnica de combate, surgiu como uma esperança de liberdade e de sobrevivência, uma ferramenta para que o negro foragido, totalmente desequipado, pudesse sobreviver ao ambiente hostil e enfrentar a caça dos capitães do mato, sempre armados e montados a cavalo.


A arte da capoeira foi utilizada pelo Quilombo dos Palmares contra as tropas da Capitania de Pernambuco.
Nos Quilombos

Não tardou para que grupos de escravos fugitivos começassem a estabelecer assentamentos em áreas remotas da colônia, conhecidos como quilombos. Inicialmente assentamentos simples, alguns quilombos evoluíam atraindo mais escravos fugitivos, indígenas ou até mesmo europeus que fugiam da lei ou da repressão religiosa católica, até tornarem-se verdadeiros estados multiétnicos independentes.9 A vida nos quilombos oferecia liberdade e a oportunidade do resgate das culturas perdidas à causa da opressão colonial.9 Neste tipo de comunidade formada por diversas etnias, constantemente ameaçada pelas invasões portuguesas, a capoeira passou de uma ferramenta para a sobrevivência individual a uma arte marcial com escopo militar.

O maior dos quilombos, o Quilombo dos Palmares, resistiu por mais de cem anos aos ataques das tropas coloniais.10 Mesmo possuindo material bélico muito aquém dos utilizados pelas tropas coloniais e, geralmente, combatendo em menor número, resistiram a pelo menos 24 ataques de grupos com até 3 000 integrantes comandados por capitães do mato. Foram necessários dezoito grandes ataques de tropas militares do governo colonial para derrotar os quilombolas. Soldados portugueses relataram ser necessário mais de um dragão (militar) para capturar um quilombola, porque se defendiam com estranha técnica de ginga e luta. O governador-geral da Capitania de Pernambuco declarou ser mais difícil derrotar os quilombolas do que os invasores holandeses.9

A Urbanização

Com a transferência do então príncipe regente dom João VI e de toda a corte portuguesa para o Brasil em 1808, devido à invasão de Portugal por tropas napoleônicas, a colônia deixou de ser uma mera fonte de produtos primários e começou finalmente a se desenvolver como nação.7 Com a subsequente abertura dos portos a todas as nações amigas,11 o monopólio português do comércio colonial efetivamente terminou. As cidades cresceram em importância e os brasileiros finalmente receberam permissões para fabricar no Brasil produtos antes importados, como o vidro.7

Já existiam registros da prática da capoeira nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro e Recife desde o século XVIII, mas o grande aumento do número de escravos urbanos e da própria vida social nas cidades brasileiras deu à capoeira maior facilidade de difusão e maior notoriedade. No Rio de Janeiro, as aventuras dos capoeiristas eram de tal jeito 12 que o governo, através da portarias como a de 31 de outubro de 1821, estabeleceu castigos corporais severos e outras medidas de repressão à prática de capoeira.7

Libertação dos Escravos e Proibição

No fim do século XIX, a escravidão no Brasil era basicamente impraticável por diversos motivos, entre eles o sempre crescente número das fugas dos escravos e os incessantes ataques das milícias quilombolas às propriedades escravocratas. O império Brasileiro tentou amenizar os diversos problemas com medidas como a lei dos Sexagenários e a lei do Ventre Livre, mas o Brasil inevitavelmente reconheceria o fim da escravidão em 13 de maio de 1888 com a lei Áurea, sancionada pelo parlamento e assinada pela princesa Isabel.

Livres, os negros viram-se abandonados à própria sorte. Em sua grande maioria, não tinham onde viver, onde trabalhar e eram desprezados pela sociedade, que os via como vagabundos.13 14 O aumento da oferta de mão de obra europeia e asiática do período diminuía ainda mais as oportunidades15 e logo grande parte dos negros foi marginalizada e, naturalmente, com eles a capoeira.14 16

Foi inevitável que diversos capoeiristas começassem a utilizar suas habilidades de formas pouco convencionais. Muitos começaram a utilizar a capoeira como guardas de corpo, mercenários, assassinos de aluguel, capangas. Grupos de capoeiristas conhecidos como maltas aterrorizavam o Rio de Janeiro. Em pouco tempo, mais especificamente em 1890, a República Brasileira decretou a proibição da capoeira em todo o território nacional[carece de fontes], vista a situação caótica da capital brasileira e a notável vantagem que um capoeirista levava no confronto corporal contra um policial.16

Devido à proibição, qualquer cidadão pego praticando capoeira era preso, torturado e muitas vezes mutilado pela polícia. A capoeira, após um breve período de liberdade, via-se mais uma vez malvista e perseguida. Expressões culturais como a roda de capoeira eram praticadas em locais afastados ou escondidos e, geralmente, os capoeiristas deixavam alguém de sentinela para avisar de uma eventual chegada da polícia.

A Luta Regional Baiana

Em 1932, um período em que a perseguição à capoeira já não era tão acentuada, mestre Bimba, exímio lutador no ringue e em lutas de rua ilegais, fundou em Salvador a primeira academia de capoeira da história. Bimba, ao analisar o modo como diversos capoeiristas utilizavam suas habilidades para impressionar turistas, acreditava que a capoeira estaria perdendo sua eficiência como arte marcial. Dessa forma, Bimba, com auxílio de seu aluno José Cisnando Lima, enxugou a capoeira, tornando-a mais eficiente para o combate e inseriu alguns movimentos de outras artes marciais, como o batuque. Mestre Bimba também desenvolveu um dos primeiros métodos de treinamento sistemático para a capoeira. Como a palavra capoeira ainda era proibida pelo código Penal, Bimba chamou seu novo estilo de Luta Regional Baiana.17

Em 1937, Bimba fundou o centro de Cultura Física e Luta Regional, com alvará da secretaria da Educação, Saúde e Assistência de Salvador. Seu trabalho obteve aceitação social, passando a ensinar para as elites econômicas, políticas, militares e universitárias.17 Finalmente, em 1940, a capoeira saiu do código Penal brasileiro e deixou definitivamente a ilegalidade. Começou, então, um longo processo de desmarginalização da capoeira.

Em pouco tempo a notoriedade da capoeira de Bimba demonstrou ser um incômodo aos capoeiristas tradicionais, que perdiam espaço e continuavam a ser malvistos. Esta situação desigual começou a mudar com a inauguração do Centro Esportivo de Capoeira Angola, em 1941, por mestre Pastinha. Localizado no Pelourinho, em Salvador, o centro atraía diversos capoeiristas que preferiam manter a capoeira em sua forma mais original possível. Em breve, a notoriedade do centro cunhou em definitivo o termo "capoeira angola" como nome do estilo tradicional de capoeira. O termo não era novo, sendo, já na época do império, a prática da capoeira apelidada, em alguns locais, de "brincar de angola" e diversos outros mestres que não seguiam a linha de Pastinha acabaram adotando-o.

Atualmente

Hoje em dia, a capoeira se tornou não apenas uma arte ou um aspecto cultural, mas uma verdadeira exportadora da cultura brasileira para o exterior. Presente em dezenas de países em todos os continentes, todo ano a capoeira atrai ao Brasil milhares de alunos estrangeiros e, frequentemente, capoeiristas estrangeiros se esforçam em aprender a língua portuguesa em um esforço para melhor se envolver com a arte. Mestres e contra-mestres respeitados são constantemente convidados a dar aulas especiais no exterior ou até mesmo a estabelecer seu próprio grupo. Apresentações de capoeira, geralmente administradas em forma de espetáculo, acrobáticas e com pouca marcialidade, são realizadas no mundo inteiro.

O aspecto marcial ainda se faz muito presente e, como nos tempos antigos, ainda é sutil e disfarçado. A malandragem é sempre presente, capoeiristas experientes raramente tiram os olhos de seus oponentes em um jogo de capoeira, já que uma queda pode chegar disfarçada até mesmo em um gesto amigável. Símbolo da cultura afro-brasileira, símbolo da miscigenação de etnias, símbolo de resistência à opressão, a capoeira mudou definitivamente sua imagem e se tornou fonte de orgulho para o povo brasileiro. Atualmente, é considerada patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.19

Roda de capoeira[editar | editar código-fonte]

A roda de capoeira é um círculo de capoeiristas com uma bateria musical em que a capoeira é jogada, tocada e cantada. A roda serve tanto para o jogo, divertimento e espetáculo, quanto para que capoeiristas possam aplicar o que aprenderam durante o treinamento. Os capoeiristas se perfilam na roda de capoeira cantando e batendo palmas no ritmo do berimbau enquanto dois capoeiristas jogam capoeira. O jogo entre dois capoeiristas pode terminar ao comando do tocador de berimbau ou quando algum outro capoeirista da roda "compra o jogo", ou seja, entra entre os dois e inicia um novo jogo com um deles.

Em geral, o objetivo do jogo da capoeira não é o nocaute ou destruir o oponente. O maior objetivo do capoeirista ao entrar em uma roda é a queda, ou seja, derrubar o oponente sem ser golpeado, preferencialmente com uma rasteira. Na maioria das vezes, entre o jogo de um capoeirista mais experiente e um novato, o capoeirista experiente prefere mostrar sua superioridade "marcando" o golpe no oponente, ou seja, freando o golpe um instante antes de completá-lo. Entre dois capoeiristas experientes, o jogo poderá ser muito mais agressivo e as consequências mais graves.

A ginga é o movimento básico da capoeira, mas além da ginga, também são muito comuns os chutes em rotação, rasteiras, floreios (como o aú ou a bananeira), golpes com as mãos, cabeçadas, esquivas, acrobacias (como o salto mortal), giros apoiados nas mãos ou na cabeça e movimentos de grande elasticidade.

cantoras portuguesas . ANA MOURA

.
A NOVA VAGA DE FADISTAS
E LINDA , É ANA MOURA


quinta-feira, novembro 27, 2014

CANTE ALENTEJANO RECONHEIDO PATRIMÓNIO IMATERIAL DA HUMANIDADE

.
NUM PROCESSO QUE DUROU 3 LONGOS ANOS
E COM ESPECIFICAÇÕES MUITOS RIGORO-
SAS E BEM FUNDAMENTADAS ,O CANTE
ALENTEJANO FOI RECONHECIDO PELA





EM plena sede da UNESCO em Paris






A TAP OFERECEU VIAGEM DE VOLTA DA DA DELEGAÇÃO ALENTEJANA DE PARIS PARA LISBOA - CHEGADA ÀS 20,25 DE HOJE
TODOS AO AEROPORTO DE LISBOA
TAP tomou conhecimento da vinda da delegação alentejana de autocarro e ofereceu voo “cante alentejano” para o regresso a casa ainda hoje

A TAP, após tomar conhecimento pela comunicação social que a delegação promotora da candidatura do cante alentejano a Património Cultural da Humanidade (Câmara de Serpa, Casa do Cante, Confraria do Cante, Casa do Alentejo e Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa) regressaria a Portugal de autocarro, numa “longa e cansativa viagem de quase 48 horas”, resolveu trazê-la de volta a casa a bordo do “voo do cante alentejano”, o TP449, que parte hoje de Paris, pelas 19 e 10 horas, e chega a Lisboa às 20 e 35 horas.

A TAP recorda que esta comitiva esteve em Paris para “receber da Unesco o importante reconhecimento universal”.

O Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa vai cantar na área de check-in, em Paris, e à chegada, no Aeroporto de Lisboa.

“Valorizando e promovendo a cultura e a identidade portuguesas, e procurando de alguma forma prestar a sua homenagem ao cante alentejano e a todos os que promoveram e tornaram possível esta candidatura, a TAP desenvolveu todos os contactos e diligências no sentido de proporcionar à delegação um regresso a casa mais rápida e confortável”, explica a Câmara de Serpa. E acrescenta: “A comitiva poderá, assim, regressar já hoje a casa e “festejar este marcante acontecimento”.

A TAP, para assinalar a classificação do cante alentejano com Património Cultural Imaterial da Humanidade, exibirá ainda a bordo o filme “Alentejo, Alentejo”, de Sérgio Tréfaut. O filme irá ser exibido em todos os voos da TAP durante o mês de dezembro

SEGUNDONA - O VASCO SUBIU À SERIE A

.
O REGRESSO DO VASCO À SERIE A
DPOIS DE 1 ANO A AMARGAR NA
SEGUNDONA, FOI CONSEGUIDO NA
PENULTA RODADA COM EMPATE
FROUXO FRENTE AO ICASA


ALELUIA, O MEU VASCO SUBIU À SERIE A (1ª,DIVISÃO)
ao empatar (só) com o ICASA.
Foi uma SEGUNDONA sofrida, mas subiu



América-RN 1-0 Náutico Videos
Bragantino 1-1 Paraná Videos
Vila Nova 3-5 ABC Videos
Ponte Preta 0-1 América Mineiro Videos
Vasco 1-1 Icasa Videos
Joinville 1-1 Luverdense Sugerir Video
Boa Esporte 1-0 Oeste Videos
Santa Cruz 0-1 Avaí Videos
Sampaio Corrêa 1-2 Atlético Goianiense Videos
Ceará 2-1 Portuguesa




Classificação P J V E D GP GC SG %

1 Joinville 70 37 21 7 9 54 32 22 63
2 Ponte Preta 68 37 19 11 7 60 37 23 61
3 Vasco 63 37 16 15 6 50 35 15 56
4 Boa Esporte 59 37 18 5 14 49 45 4 53
5 Atlético-GO 59 37 17 8 12 52 46 6 53
6 Avaí 59 37 17 8 12 46 40 6 53
7 América-MG 58 37 19 7 11 55 39 16 57
8 Ceará 57 37 16 9 12 58 52 6 51
9 Sampaio Corrêa-MA 53 37 13 14 10 54 42 12 47
10 Santa Cruz-PE 52 37 13 13 11 48 36 12 46
11 Náutico 49 37 14 7 16 39 46 -7 44
12 ABC-RN 48 37 14 6 17 34 38 -4 43
13 Paraná 48 37 12 12 13 41 42 -1 43
14 Luverdense-MT 47 37 14 5 18 39 46 -7 42
15 Oeste 45 37 11 12 14 38 48 -10 40
16 América-RN 43 37 12 7 18 43 49 -6 38
17 Bragantino 43 37 12 7 18 43 55 -12 38
18 Icasa 40 37 10 10 17 31 41 -10 36
19 Vila Nova-GO 29 37 9 2 26 32 68 -36 26
20 Portuguesa 25 37 4 13 20 27 56 -29 22

quinta-feira, novembro 20, 2014

HISTÓRIA DO BRASIL - A BALAIADA

.
O QUE FOI A REVOLTA DOS
BALAIOS OU A BALAIADA?

História Da Balaiada


O que foi:
- Revolta popular ocorrida no Maranhão entre os anos de 1838 e 1841.


Motivos do conflito:
- Grande parte da população pobre do estado era contra o monopólio político de um grupo de fazendeiros da região. Estes fazendeiros comandavam a região e usavam a força e violência para atingirem seus objetivos políticos e econômicos.
Como começou e os fatos mais importantes:
- No mês de dezembro de 1838 o líder do movimento, Raimundo Gomes, invadiu a prisão de Vila Manga para libertar seu irmão. Acabou aproveitando a situação e libertando todos outros presos.
- Em 1839 os balaios (como eram chamados os revoltosos), fizeram algumas conquistas como, por exemplo, a Vila de Caxias. Conseguiram também organizar uma Junta Provisória.
- O governo maranhense organizou suas forças militares, inclusive com apoio de militares de outras províncias, e passou a combater fortemente os balaios. Com a participação de muitos escravos fugitivos, prisioneiros e trabalhadores pobres da região, os balaios conseguiram obter algumas vitórias no início dos conflitos.
- O coronel Luís Alves Lima e Silva foi nomeado pelo Império como governador da província do Maranhão com o objetivo de pacificar a revolta. O Barão de Caxias, que mais tarde seria duque, foi eficiente em sua missão e reconquistou a Vila de Caxias.
O enfraquecimento do movimento e o fim da revolta
- Após perder a Vila de Caxias, o comandante dos balaios, Raimundo Gomes, se entregou as tropas oficiais.
- Em 1839, após a morte de Balaio, Cosme Bento (ex-escravo) assumiu a liderança dos balaios. Em 1840 ele partiu, com centenas de revoltosos para o interior.
- Em 1841, já com o movimento enfraquecido, muitos balaios resolverem se render, aproveitando a anistia concedida pelo governo.
- Em 1841, o líder Cosme Bento foi capturado e enforcado. Era o fim da revolta.



Cosme Bento das Chagas (Sobral, 1800/1802? — Itapecuru-Mirim, 20 de setembro de 1842) foi um líder quilombola brasileiro.

Em 1830, já alforriado, foi preso em São Luís, no Maranhão, por ter assassinado Francisco Raimundo Ribeiro. Fugiu da prisão e, após um período em que pouco se sabe sobre sua vida, se torna líder de quilombos e passa a ser conhecido em 1839 por alguns incidentes provocados por negros na Vila de Itapicuru-Mirim.

Em dezembro do ano anterior o movimento conhecido como Balaiada eclodiu no Maranhão a partir da invasão da cadeia da Vila da Manga por Raimundo Gomes. Com a adesão de Manuel Francisco dos Anjos Ferreira, conhecido como Manuel Balaio, o movimento se expandiu e, após o cerco e tomada da cidade de Caxias, se expandiu para o Piauí.

Com a repressão efetuada por Luís Alves de Lima e Silva, a resistência só pôde ser mantida com o apoio militar de Cosme Bento e seus mais de 3000 comandados à Raimundo Gomes (julho/agosto de 1840). Cosme adotou o título de Dom Cosme Bento das Chagas, Tutor e Imperador da Liberdade Bem-Te-Vi e fundou na fazenda Tocanguira o maior quilombo da história do Maranhão.

No final de 1840 as tropas legalistas atacam o quilombo de Cosme sendo que a promessa de anistia para os não escravos foi um fator que pesou contra a resistência da Balaiada. Após a rendição de Raimundo Gomes em 15 de janeiro de 1841, o movimento é considerado debelado, mas Cosme só é preso em Mearim no dia 14 de fevereiro daquele ano.

Condenado por sublevar escravos e por sua fuga da prisão é morto no dia 20 de setembro de 1842, o grande líder da Balaiada Cosme Bento das Chagas, o Negro Cosme, foi enforcado em frente a Cadeia Pública de Itapecuru (Maranhão), hoje Casa da Cultura Profº João Silveira.

um português - CARLOS DO CARMO, venceu GRAMY

.
O CANTOR E FADISTA CARLOS DO CARMO
GANHOU UM GRAMMY DE CARREIRA


Carlos do Carmo foi distinguido pela Latin Recording Academy com o grammy que distingue a carreira do artista. É o primeiro português a receber este prémio.



O "Lifetime Achievment" agora atribuído a Carlos do Carmo destina-se a premiar a obra de uma carreira. A academia considera Carlos do Carmo "um dos melhores fadistas de sempre", lembrando o importante papel que a mãe, a fadista Lucília do Carmo, desempenhou na sua carreira, como referência musical.

De acordo com o jornal "Blitz", Carlos do Carmo, 74 anos, foi informado ontem pelo presidente da Latin Recording Academy, Gabriel Abaroa Jr, que tinha ganho o galardão. A estatueta deverá ser-lhe entregue no dia 19 de novembro, no Hollywood Theatre da MGM, em Las Vegas (EUA).

O fadista, de 74 anos, tem uma carreira artistica de 50 anos e estreou-se na casa de fados lisboeta O Faia, propriedade dos seus pais.

Numa entrevista à Lusa, o fadista contou que começou a ouvir fado ainda dentro do ventre da mãe, destacando também a importância das idas às verbenas para ouvir fados, acompanhado pelos pais, e "a escola que era O Faia onde se ouvia muitos fadistas, designadamente Alfredo Marceneiro", e a sua mãe, criadora de êxitos como "Maria Madalena" e "Foi na travessa da Palha".

Do seu repertório constam vários temas assinados por Barbosa du Bocage, Almeida Garrett, Frederico de Brito, José Carlos Ary dos Santos, Joaquim Pessoa, Manuel Alegre, José Saramago, Vasco Graça Moura, Nuno Júdice, Júlio Pomar, Maria do Rosário Pedreira e compositores como Victorino d'Almeida, Fernando Tordo, Nuno Nazareth Fernandes, Martinho d'Assunção, José Luís Tinoco, Fernando Tordo, Paulo de Carvalho, José Niza, Mário Moniz Pereira e Alfredo Marceneiro, entre outros.


Ler Artigo Completo (Pág.1/3)

terça-feira, novembro 11, 2014

SEGUNDONA BRASIL

.
O MEU VASCO VOLTOU A EMPATAR
DESTA FEITA COM O PARANÁ E
MARCA PASSO EM 3º.LUGAR NA
SEGUNDONA .

Está a ser dificil esta parte final, com o VASCO a perder pontos numa série de empates.


Oeste 3-0 Portuguesa
Luverdense 3-1 Avaí
Joinville 1-0 Bragantino
Atlético Goianiense 3-1 Vila Nova
Paraná 1-1 Vasco
Ponte Preta 1-0 Sampaio Corrêa
Santa Cruz 0-1 América-RN
Icasa 3-1 Náutico
ABC 1-0 América Mineiro
Boa Esporte 3-1 Ceará


ponte preta-vasco 1-1


classificação feral

1 Ponte Preta 64 33 18 10 5 55 31 +24 Jogos
2 Joinville 63 33 19 6 8 48 28 +20 Jogos
3 Vasco 56 33 14 14 5 45 31 +14 Jogos
4 Atlético Goianiense 52 33 15 7 11 49 43 +6 Jogos
5 Avaí 52 33 15 7 11 43 37 +6 Jogos
6 Santa Cruz 51 33 13 12 8 47 31 +16 Jogos
7 Boa Esporte 50 33 15 5 13 44 41 +3 Jogos
8 Ceará 50 33 14 8 11 54 50 +4 Jogos
9 América Mineiro 48 33 16 6 11 48 37 +11 Jogos
10 Sampaio Corrêa 47 33 11 14 8 47 38 +9 Jogos
11 Luverdense 46 33 14 4 15 37 41 -4 Jogos
12 Náutico 45 33 13 6 14 38 43 -5 Jogos
13 ABC 41 33 12 5 16 28 34 -6 Jogos
14 Paraná 41 33 10 11 12 36 38 -2 Jogos
15 Bragantino 39 33 11 6 16 40 50 -10 Jogos
16 Icasa 38 33 10 8 15 28 35 -7 Jogos
17 Oeste 38 33 9 11 13 35 47 -12 Jogos
18 América-RN 36 33 10 6 17 37 44 -7 Jogos
19 Vila Nova 26 33 8 2 23 26 59 -33 Jogos
20 Portuguesa 21 33 3 12 18 25 52 -27 Jogos

quinta-feira, outubro 30, 2014

GETULIO - O FILME

.
VAI ESTREAR EM PORTUGAL ESTA SEMANA
O FILME QUE NOS TRAZ OS ULTIMOS
TEMPOS DO PRESIDENTE GETULIO VARGAS

quarta-feira, outubro 29, 2014

UM PORTUGUÊS . VASCO RIBEIRO, SAGROU-SE CAMPEÃO MUNDIAL DE SURF - JUNIORES

.
APÓS O APAGÃO QUE O NOSSO BLOG
SOFREU POR INTROMISSÃO DUM
MALWARE, EIS-NOS DE VOLTA
PARA ANUNCIAR QUE HOJE 1
PORTUGUÊS ,VASCO RIBEIRO,
SE SAGROU CAMPEÃO MUNDIAL
DE JUNIORES DE SURF


Surf
Vasco Ribeiro é o novo campeão mundial junior
O surfista português Vasco Ribeiro sagrou-se hoje campeão mundial junior na prova que está a decorrer em Ribeira D'lhas, na Ericeira.
0
Ricardo Marques |
15:05 Quarta feira, 29 de outubro de 2014
Vasco Ribeiro
Vasco Ribeiro
Na final, Vasco Ribeiro derrotou o brasileiro Italo Ferreira, conseguindo 18,63 pontos contra os 12,77 de Italo.

É a primeira vez que um português conquista um dos troféus mais importantes do surf mundial e é apenas a segunda vez que um surfista europeu garante o título mundial de juniores, depois do francês Maxime Huscenot.

"É um sonho. Ainda não consigo acreditar", afirmou Vasco Ribeiro. "Queria fazer uma boa final. Comecei bem , com uma boa onda e acabou tudo por correr bem", acrescentou o surfista português.

Vasco Ribeiro abriu a final com uma onda de nove pontos (em 10 possíveis). Nos últimos instantes da prova, aproveitando uma onda em que o surfista brasileiro não arrancou, o português conseguiu 9,63 pontos, com uma sequência de manobras que impressionou os juizes. "Está a surfar melhor do que alguma vez vi", afirmou o comentador Richard "Dog" Marsh, um ex-surfista profissional que é hoje um dos treinadores mais conceituados do mundo.

O português Tomás Fernandes, surfista da Ericeira que é treinado por Marsh, ficou em terceiro lugar neste mundial, tendo sido derrotado por Italo Ferreira na meia-final.

No pódio, depois de receber o troféu, Vasco Ribeiro falou em português para repetir o que tinha dito na primeira entrevista: agradeceu à família, aos amigos, aos treinadores e confessou não ter palavras. Com a vitória, o português ganhou um prémio de 25 mil dólares.

Antes da final masculina, a americana Mahina Maeda, de 16 anos, do Havai, bateu Tessa Thyssen, de Guadalupe. A nova campeã ganhou 7500 dólares.






segunda-feira, outubro 06, 2014

brasileirão 26ª.RODADA

.
O CRUZEIRO DEU UM PASSO DE GIGANTE A
CAMINHO DO BI, AO VENCER O VICE LÍ-
DER NUM GRANDE JOGO DE FUTEBOL.


JORNADA 26
2014-10-04

Palmeiras 4-2 Chapecoense
Flamengo 0-1 Santos
Fluminense 1-1 Bahia
Coritiba 1-0 Atlético Paranaense
Vitória 2-1 Botafogo
Grêmio 0-1 São Paulo
Corinthians 3-0 Sport
Cruzeiro 2-1 Internacional
Criciúma 3-1 Atlético Mineiro
Goiás 1-0 Figueirense





CLASSIFICAÇÃO GERAL

.....................P.J.V.E.D.GM.GS
1 Cruzeiro 56 26 17 5 4 51 26
2 Internacional 47 26 14 5 7 36 22
3 São Paulo 46 26 13 7 6 44 33
4 Atlético Mineiro 43 26 12 7 7 36 29
5 Grêmio 43 26 12 7 7 21 15
6 Corinthians 43 26 11 10 5 32 18
7 Fluminense 41 26 11 8 7 41 26
8 Santos 39 26 11 6 9 32 23
9 Sport 36 26 10 6 10 21 31
10 Goiás 33 26 9 6 11 24 26
11 Figueirense 32 26 9 5 12 24 3
12 Atlético Paranaense 31 26 8 7 11 28 34
13 Flamengo 31 26 8 7 11 23 32
14 Bahia 30 26 7 9 10 23 25
15 Palmeiras 28 26 8 4 14 25 41
16 Chapecoense 28 26 7 7 12 23 31
17 Vitória 27 26 7 6 13 26 36
18 Criciúma 27 26 6 9 11 16 33
19 Botafogo 26 26 7 5 14 26 33
20 Coritiba 26 26 6 8 12 25 28


CRACKS DE FUTEBOL ELEITOS DEPUTADOS E SENADORES

.
ROMÁRIO,BEBETO,JARDEL ,3 GRANDE JOGADORES
DE FUTEBOL, FORAM ELEITOS NAS ELEIÇÕES
QUE ONTEM TIVERAM LUGAR NO BRASIL.

O JARDEL, vai ser deputado estadual
ELEIÇÕES NO BRASIL - JARDEL, ELEITO DEPUTADO FEDERAL
Aos 41 anos, Mário Jardel é agora deputado estadual. O ex-jogador do FC Porto e do Sporting, candidato pelo Partido Social-Democrata, vai ocupar um dos 55 lugares da Assembleia Legislativa do estado do Rio Grande do Sul. Até o fecho desta edição, o antigo futebolista brasileiro garantia 0,68 por cento dos votos nas eleições do Brasil, que deram a vitória a Dilma Rousseff, que irá disputar a segunda volta com Aécio Neves no próximo dia 26.
Na campanha eleitoral, o antigo futebolista teve um apoio de peso: Luiz Felipe Scolari. “Oi pessoal, aqui é o Felipão. Assim como no futebol, agora Jardel será um grande deputado e fará muitos golos a favor do Rio Grande do Sul”, dizia a mensagem de apoio do treinador, que é do estado que elegeu Jardel para deputado estadual.


ROMÁRIO, como senador

Romário é eleito Senador no Rio com mais de 60% dos votos válidos
Com mais de 90% das urnas apuradas, deputado federal supera o ex-governador Cesar Maia
Romário votou na Escola Joseph Bloch, em Parada de Lucas, ao lado da filha -

O ex-jogador e deputado federal Romário (PSB) está matematicamente eleito Senador do estado do Rio. .
Romário é eleito Senador no Rio com mais de 60% dos votos válidos
Com mais de 90% das urnas apuradas, deputado federal supera o ex-governador Cesar Maia

BEBETO, como deputado estadual
Bebeto (SD-RJ)
Deputado estadual: 61.082 votos
O camisa 7 do tetra já havia sido eleito deputado estadual no Rio de Janeiro pelo PDT mas, neste ano, tentou a eleição pelo partido Solidariedade, o que lhe garantiu o número 77777 na urna. Aproveitando também a visibilidade em função de sua participação na organização da Copa do Mundo, Bebeto mais que dobrou a votação de 2010. De 28 mil votos, passou para mais de 61 mil.

Não conseguiram votos suficientes para a eleição ROBERTO DINAMITE e MARCELINO

sexta-feira, outubro 03, 2014

AS GRANDES OBRAS DA LITERATURA BRASILEIRA ,EDITADAS EM PORTUGAL

.
NUMA FELIZ PARCERIA A ACADEMIA BRASILEIRA
DE LETRAS ESTEBELECEU COM UMA EDITORA
PORTUGUESA O LANÇAMENTO EM PORTUGAL DE
EDIÇÕES DAS MELHORES OBRAS DA LITERATUA
DO BRASIL.




A editora portuguesa Glaciar e a Academia Brasileira de Letras (ABL) lançaram esta segunda-feira na Fundação Gulbenkian os primeiros quatro volumes da colecção Biblioteca de Academia, um projecto editorial que se propõe lançar em Portugal, ao longo dos próximos anos, 25 obras fundamentais da literatura e cultura brasileiras.

Os quatro títulos já lançados – aos quais se juntará ainda este ano O Ateneu, de Raul Pompeia, uma notável singularidade impressionista na ficção brasileira do final do século XIX – mostram bem as ambições desta colecção, que aposta em edições de referência, volumosas, muito cuidadas e bastante caras.

O primeiro volume é uma monumental compilação dos dez romances de Machado de Assis, precedidos de uma extensa apresentação do ensaísta e professor de literatura brasileira Luís Augusto Fischer, igualmente responsável pela fixação do texto. Se os romances da chamada trilogia realista de Machado de Assis – o genial Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881), Quincas Borbas (1891) e Dom Casmurro (1899) – foram sendo regularmente publicados em Portugal, já os seus primeiros livros, como Ressurreição (1872), A Mão e a Luva (1874) ou Helena (1876), dificilmente se encontram nas livrarias, e ainda menos em edições fiáveis.

Com mais de 1500 páginas e capa dura, o livro custa quase 80 euros. Os restantes volumes já lançados são mais pequenos e mais baratos, com preços que andam entre 30 e os 50 euros. “Os livros são caros, não vou dizer que são baratos”, reconhece o editor da Glaciar, Jorge Reis-Sá, mas afirma que preferiu “editar obras que podem durar 20 anos”, e não pensadas para a cada vez mais vertiginosa rotação das novidades nas livrarias. “Em 15 anos como editor [co-fundou a Quasi e esteve depois no grupo Babel], nunca fiz uma coisa tão interessante”, diz.

E a verdade é que quem não tiver condições económicas para comprar estes livros tem pelo menos a garantia de que os poderá ler sem ter de se afastar demasiado de casa, já que a Academia Brasileira de Letras encarregou a Glaciar de distribuir exemplares não apenas às poucas bibliotecas que beneficiam de depósito legal, mas a todas as bibliotecas municipais do país.

O ensaísta e poeta Antônio Carlos Secchin, membro da ABL desde 2004 e coordenador da colecção, explicou ao PÚBLICO que “no acordo feito com a Glaciar, a Academia quis ter a certeza de que todas as bibliotecas públicas portuguesas receberiam um exemplar”. Secchin, que esteve esta segunda-feira na Gulbenkian a apresentar a colecção, recorda que o projecto nasceu de uma proposta da Glaciar que a ABL adoptou. “A Academia é uma instituição privada, com recursos próprios, e assume nos seus estatutos o compromisso de difundir a língua e a literatura nacional, e é isso que está fazendo com esta colecção”, diz ainda Secchin.

Cinco títulos por ano
Embora não sejam ainda conhecidos os volumes que sairão a partir de 2015 – a ideia é publicar cinco títulos por ano até 2018 –, o académico brasileiro adianta que “a colecção vai incidir em grandes nomes já falecidos da literatura brasileira”, em “livros clássicos, como os romances de Machado de Assis, ou Os Sertões, de Euclides da Cunha, que passaram pela prova do tempo, mas que nunca tiveram em Portugal a repercussão que justificariam”.

A única e “grata excepção” à regra de não incluir autores vivos, acrescenta Secchin, é justamente o segundo volume da colecção, a Dialética da Colonização, do historiador e crítico Alfredo Bosi, que esteve também na sessão da Gulbenkian, a falar deste seu livro originalmente publicado em 1992. A edição tem prefácio da ensaísta portuguesa Graça Capinha, autora que já desde meados dos anos 90 vem chamando a atenção para a importância das abordagens interdisciplinares de Bosi ao discurso literário. Num conjunto que será dominado pela criação literária em sentido mais estrito, a escolha de Dialética da Colonização é também um modo de mostrar que a colecção pretende ter um âmbito mais latamente cultural e não exclui o ensaísmo.

Um dos quatro volumes já lançados é, de resto, uma das mais inclassificáveis obras da literatura de língua portuguesa de todos os tempos: o extraordinário Os Sertões (1902), de Euclides da Cunha, que é uma emocionante história da Guerra de Canudos e uma epopeia da vida sertaneja no final do século XIX, mas que também pertence de pleno direito à literatura científica, com a sua detalhada informação geográfica, histórica e sociológica.

BANDAS BRASILEIRAS - BANDA DO MAR

.
A BANDA DO MAR É RECENTE
MAS DE MUITA QUALIDADE

Banda do Mar, formada no dia 06 de maio de 2014, é uma banda luso-brasileira composta por Marcelo Camelo, Mallu Magalhães e Fred Ferreira. O álbum com suas composições está previsto para sair no segundo semestre deste ano, seguido de turnê.

As carreiras do casal Mallu e Camelo já se encontraram em diversos outros momentos desde o início do relacionamento deles, anunciado em 2008. Tudo começou com uma participação dela no primeiro disco solo de Camelo, Sou, também de 2008.

Naquele disco, a dupla fez uma parceria na faixa "Janta", eleita pela Rolling Stone Brasil como a melhor música nacional do ano. O mesmo se deu no segundo trabalho solo de Camelo, Toque Dela, de 2011.

Já a participação de Camelo no trabalho de Mallu foi ainda mais latente, principalmente no terceiro álbum dela, Pitanga, produzido pelo músico do Los Hermanos e lançado também em 2011. Já Fred trabalhou no último disco de Wado, Vazio Tropical, cuja produção é de Camelo



quarta-feira, setembro 24, 2014

BRASILEIRÃO

.
O CRUZEIRO CONTINUA NA FRENTE
APESAR DE DERROTADO PELO SEU
ARQUIRIVAL ATLETICO MINEIRO



23ª Rodada


ATLETICO PARANAENSE 0 x 1 INTER PA
CRICIUMA 1 x 1 BOTAFOGO
VITORIA 2 x 1 BAHIA
SÃO PAULOO 1 x 0 CFC
CRUZEIRO 2 x 3 ATLETICO MINEIRO
CORINTHIANS 3 x 2 SAO PAULO
FLAMENGO 1 x 1 FLUMINENSE
SANTOS 3 x 1 FIGUEIRENSE
GOIÁS 6 x 0 PALMEIRAS
GREMIO 1 x 0 CHAPECOENSE



Classificação P J V E D GP GC SG

1 Cruzeiro . 49 23 15 4 4 47 24 23
2 São Paulo 42 23 12 6 5 40 28 12
3 Internacional 41 23 12 5 6 28 18 10
4 Corinthians 40 23 10 10 3 29 16 13
5 Grêmio 39 23 11 6 6 19 14 5
6 Atlético-MG 37 23 10 7 6 30 24 6
7 Fluminense 36 23 10 6 7 37 24 13
8 Sport 35 23 10 5 8 21 27 -6
9 Santos 33 23 9 6 8 27 20 7
10 Goiás 30 23 8 6 9 23 23 0
11 Flamengo 30 23 8 6 9 20 27 -7
12 Atlético-PR 28 23 7 7 9 27 30 -3
13 Figueirense 26 23 7 5 11 20 33 -13
14 Vitória 24 23 6 6 11 24 31 -7
15 Chapecoense 24 23 6 6 11 17 26 -9
16 Botafogo-RJ 23 23 6 5 12 24 29 -5
17 Coritiba 23 23 5 8 10 21 22 -1
18 Bahia 23 23 5 8 10 19 23 -4
19 Criciúma 23 23 5 8 10 12 28 -16
20 Palmeiras 22 23 6 4 13 18 36 -18

O NOSSO BLOG ESTEVE BLOQUEADO POR MAL FUNCTION TÉCNICO

.
É A PRIMEIRA VEZ EM 10 ANOS DE
EXISTÊNCIA QUE TAL ACONTECE,


Não tendo culpa pelo impedimento técnico peço desculpa e já temos o nosso blog reactivado