contador de visitas

free web counter

quarta-feira, agosto 10, 2005

EÇA DE QUEIROZ

..


Romancista, contista, cronista, crítico literário e epistoló­grafo, José Maria Eça de Queiroz, nome de batismo do grande escritor, nasce em Póvoa de Varzim, Portugal, em 25 de novembro de 1845 e falece em 16 de agosto de 1890 na cidade de Paris, França.

Eça de Queiroz inicia seus estudos na cidade do Porto! Portugal. Diploma-se em Direito, em 1866, pela Universidade de Coimbra.

Após sua formatura, o escritor exerce durante algum tempo a advocacia em Lisboa; funda e dirige o jornal políti­co de oposição “Distrito de Evora”. Em 1867, integra o Cenáculo, grupo composto por intelectuais que desencadeia o movimento realista em Portugal. Vivendo em uma época em que os movimentos reivindicatórios socialistas adquirem força e influenciam a arte, este grupo procura apresentar produções artísticas comprometidas com a transformação da sociedade.

Eça faz sua estréia literária em 1866, no jornal “Gazeta de Portugal”, e publica seus primeiros versos na revista “Revolução de Setembro”, com o pseudônimo de Carlos Fradique Mendes, suposto interlocutor com quem se cor­responde. Ao longo de sua vida colabora em inúmeros pe­riódicos, entre eles diversos jornais.

Conforme aponta o professor e ensaísta Jorge Fernandes da Silveira, Eça de Queiroz semeia, ao lado de Cesário Verde, seu contemporâneo, uma nova maneira de “escrever Portugal”, que seria amplamente utilizada e difundida ao longo do século XX pelos escritores portugueses. Escritor irônico, revitaliza a prosa de seu país com neologismos e recursos da lingua falada, evitando o purismo tradicional.

Considerado por alguns críticos literários o represen­tante máximo do Realismo-Naturalismo português Eça tornou-se, aos olhos de João Gaspar Simões, uma “das maiores figuras da literatura portuguesa de todos os tem­pos, e sem dúvida alguma o escritor que deu à língua literária de Portugal e do Brasil a sua fluidez, a sua maleabi­lidade e a sua actualidade

sintese:
1845: Em 25 de Novembro, nasce na Póvoa do Varzim José Maria Eça de Queirós. - 1855: Entra como aluno interno no Colégio da Lapa, no Porto. - 1861: Matricula-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. - 1864: Conhece Teófilo Braga. - 1865: Representa no Teatro Académico e conhece Antero de Quental. - 1866: Forma-se em Direito. Instala-se em Lisboa, em casa do pai. Parte para Évora, onde funda e dirige o jornal Distrito de Évora. - 1867: Sai o primeiro número do jornal. Estreia-se no foro. Regressa a Lisboa. -1869: Assiste à inauguração do Canal de Suez. - 1870: É nomeado Administrador do Distrito de Leiria. Com Ramalho Ortigão, escreve O Mistério da Estrada de Sintra. Presta provas para cônsul de 1ª classe, ficando em primeiro lugar. - 1871: Conferências do Casino Lisbonense. - 1872: Cônsul em Havana. - 1873: Visita os Estados Unidos em missão do Ministério dos Negócios Estrangeiros. - 1874: É transferido para Newcastle. - 1876: O Crime do Padre Amaro. - 1878: O Primo Basílio. Escreve A Capital. - 1878: Ocupa o consulado de Bristol. - 1879: Escreve, em França, O Conde de Abranhos. -1880: O Mandarim. - 1883: É eleito sócio correspondente da Academia Real das Ciências. - 1885: Visita em Paris Émile Zola. - 1886: Casa com Emília de Castro Pamplona. - 1887: A Relíquia. - 1888: Cônsul em Paris. Os Maias. - 1889: Assiste ao primeiro jantar dos "Vencidos da Vida". - 1900: A Correspondência de Fradique Mendes. A Ilustre Casa de Ramires. Em 16 de Agosto morre em Paris.


GALERIA DAS PERSONAGENS QUEIROZIANAS
.
Galeria de Personagens Queirosianas

O Crime do Padre Amaro:

Amaro | Amélia | Tótó | Cónego Dias | S. Joaneira

O Primo Basílio:

Luisa | Basílio | Jorge | Juliana | Julião | Ernestinho | Sebastião | Leopoldina | Acácio

A Tragédia da Rua das Flores:

Genoveva | Tio Timóteo | Vítor | Camilo Serrão | Joana | Dâmaso Mavião | Joaquim Meirinho | Mélanie | Conde de Molineux | Coronel Stephenson | Barrão de Markstein

O Mandarim:

Teodoro | D. Augusta

A Relíquia

Teodorico Raposo | D. Patrocínio das Neves | Dr. Margaride | Padre Negrão | Mary | Adélia | Dr. Topsius

A Ilustre Casa de Ramirez

Gonçalo Ramires | Titó | Castanheiro | Videirinha | André Cavaleiro | Gracinha Ramires | Irmãs Lousadas

As Cidades e as Serras

José Fernandes | Jacinto | Joaninha

O Conde de Abranhos

Conde de Abranhos | Z. Zagalo | Desembargador Amado | Laura Amado | Virgínia | Padre Augusto

A Capital

Artur | Albuquerquezinho | Damião | Deputado Carvalhosa | Melchior | Meirinho | Nazareno | Sarrotini

Alves e Cª.

Godofredo Alves | Ludovina Alves | Machado

Os Maias

Afonso da Maia | Pedro da Maia | Carlos da Maia | Maria Eduarda | Maria Monforte | João da Ega | Eusébiozinho | Alencar | Conde de Gouvarinho | Sousa Neto | Palma Cavalão | Dâmaso Salcede | Steinbroken | Cohen | Craft | Condessa de Gouvarinho | Cruges | Tancredo | Sr. Guimarães | Rufino

.

2 comentários:

afonso-jose disse...

boa

anahelcias disse...

Excelente comentário sobre o romancista Eça de Queiroz. Parabéns. Ótima fonte de estudo e pesquisa. Valeu!